notícias

Volumosos devem representar 60% da alimentação dos bovinos

14/03/2019

Volumosos devem representar 60% da alimentação dos bovinos
Fotos: Carina Ribeiro/Copagril

Em se tratando do manejo alimentar de animais ruminantes, as forrageiras constituem alimento fundamental para a saúde dos rebanhos bovinos leiteiros e devem ser consumidas em quantidade adequada.

De acordo com a zootecnista do Fomento Leite Copagril, Monique Bayer, a disponibilização de pastagens permite maior taxa de ruminação, que é um hábito natural dos bovinos e, portanto, necessário de ser praticado tendo em vista os aspectos fisiológicos dos mesmos. Por meio da ruminação, os animais iniciam a degradação da fibra e proteína presentes na dieta e ainda produzem bicarbonato de sódio na saliva, elemento que é importante para promover o tamponamento do pH do rúmen, a fim de que haja um melhor aproveitamento dos nutrientes e dos demais alimentos ingeridos.

Segundo Monique, o consumo de volumoso em baixa quantidade pode gerar deficiência nutricional, a qual pode causar doenças como acidose, laminite ou ainda consequências indesejadas como perda de peso do animal, redução da produção e dos sólidos no leite.

Volumosos

Entre os tipos de volumosos comumente utilizados estão as pastagens in natura, grama tifton, capim-pioneiro, feno, pré-secado de tifton e silagens de milho, aveia e sorgo.

Dentre os alimentos volumosos, as pastagens estão entre as alternativas de menor custo para o produtor, mas, ainda assim, precisam de cuidados e investimento. “O produtor que opta por trabalhar com pastagens precisa fazer a correção de solo, que consiste em realizar aplicação de calcário de concha e fertirrigação associada à rotação de piquetes”, recomenda Monique, lembrando que esta prática enriquece o solo e, consequentemente, melhora a qualidade e o aproveitamento da pastagem.

No caso de se optar por utilizar cama de aviário ou dejetos suínos para adubação, conforme a zootecnista, é importante respeitar o período de incorporação da matéria orgânica ao solo, devido ao risco de transmissão de doenças para os bovinos, dentre elas a encefalopatia espongiforme bovina (doença da vaca louca). “O período de incorporação varia entre 20 a 25 dias”, completa.

Para se obter um bom manejo também é indicado realizar o pastejo rotacionado, em que se adota a divisão da área em piquetes e se realiza um rodízio nas subáreas disponibilizadas para pastejo. Desse modo é possível melhorar a produtividade dos animais, sem afetar a existência das plantas forrageiras.

Características

Em relação às características, os alimentos que possuem maior quantidade de grãos costumam ser mais energéticos, enquanto os mais folhosos tendem a ser mais proteicos. Significa que a silagem de milho é uma das opções mais energéticas para os rebanhos, enquanto as pastagens têm maior concentração de proteínas e baixo teor energético. “Conforme o sistema de manejo alimentar adotado pelo produtor é preciso que ele faça complementações nutricionais”, ressalta Monique.

Quantidade

Para calcular a quantidade de alimento a ser fornecida aos animais, de acordo com a técnica da Copagril, o recomendado é que cada um deles deve consumir diariamente o equivalente a cerca de 3 a 3,5% do seu peso vivo em matéria seca. “Desse total, é indicado que 40% do alimento consumido sejam concentrados e 60% sejam volumosos”, salienta Monique.

Sendo assim, por exemplo, se o animal pesa 500kg ele precisa consumir 3% desse valor, que correspondem a 15kg de matéria seca por dia (teoricamente 6kg de concentrado e 9kg de volumoso na matéria seca). “Lembrando que para realizar o cálculo referente à quantidade de matéria seca fornecida ao animal é importante considerar qual a quantidade média de água presente em cada alimento fornecido (ver box)”, ressalta a zootecnista.

Piquetes

O associado Tarcísio Afonso Goerck trabalha em família para tocar a atividade pecuária, com apoio da esposa Noeli, do filho Paulo, da nora Angela e do neto Victor. Há cerca de três anos eles adotaram o sistema de piquete rotativo na propriedade, localizada na Linha São José, em Quatro Pontes, e ficaram muito satisfeitos com a decisão, pois foi otimizada a capacidade produtiva por área.

Atualmente, cerca de 34 animais, entre vacas e novilhas, estão inseridos nesse sistema. As gramas tifton e vaqueiro recebem fertirrigação com dejetos suínos da propriedade. A área utilizada para piqueteamento corresponde a 1 hectare, formando mais de 30 piquetes. Os animais levam cerca de um mês para voltarem a pastar no mesmo espaço, garantindo que as forrageiras estejam vistosas até o próximo pastejo. Além disso, os animais não ficam expostos a barro, facilitando o controle de mastite. Outra vantagem é que este vazio sanitário nos piquetes quebra o ciclo de vida de bactérias e de parasitas, como os carrapatos, garantindo maior sanidade para os bovinos. “Hoje temos certeza de que este sistema melhora o aproveitamento das áreas de pastagem e a condição dos animais”, afirma Tarcísio.

O associado Tarcísio recebe 12 centavos de bonificação na Copagril, atingindo em janeiro deste ano 12,84% de Extrato Seco Total (EST), 28.000 UFC/ml de Contagem Bacteriana Total (CBT) e 238.000 células somáticas/ml (CCS). De acordo com o produtor, este resultado é mais facilmente atingido com base no sistema de produção de piqueteamento e demais cuidados realizados na propriedade.

Fotos:


Outras Notícias:


Manejo em terminação: momento de fechar com “chave de ouro” o ciclo primário da produção de suínos 22/03/2019 Manejo em terminação: momento de fechar com “chave de ouro” o ciclo primário da produção de suínos

A fase de terminação do sistema de integração de suínos é o arremate da produção de carne, portanto, os produtores desta fase são os responsáveis por fechar... ...


Colaboradores das fábricas de rações da Copagril recebem certificação de Boas Práticas de Fabricação 20/03/2019 Colaboradores das fábricas de rações da Copagril recebem certificação de Boas Práticas de Fabricação

Colaboradores das Unidades Industriais de Rações da Copagril (UIR) das cidades de Entre Rios do Oeste e Marechal Cândido Rondon receberam nessa terça-feira (19)... ...


Evento de sensibilização do Programa Cooperjovem enfoca criatividade 20/03/2019 Evento de sensibilização do Programa Cooperjovem enfoca criatividade

“Todo ser humano é criativo, mas precisa estimular a sua criatividade para ativá-la e canalizá-la para o bem, para algo produtivo”.... ...


Iniciado Curso de Desenvolvimento de Liderança Feminina da Copagril 19/03/2019 Iniciado Curso de Desenvolvimento de Liderança Feminina da Copagril

Teve início na manhã de hoje (19), na Associação Atlética Cultural Copagril (AACC), em Marechal Cândido Rondon, o Curso de Desenvolvimento de Liderança Feminina da... ...


Localizacação Sede Administrativa
Rua Nove de Agosto, 700
Marechal Cândido Rondon - PR
CEP: 85960-000

Fone: (45) 3284-7500 -
Redes Sociais SAC
Copyright® Copagril - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade Produzido por BRSIS